• Áliston Meneses

Wassef deixa defesa de Flávio Bolsonaro em inquérito que apura suspeita de rachadinha



Wassef deixou a defesa de Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, depois de, na semana passada, Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do senador, ser preso em um imóvel que pertence ao advogado em Atibaia, interior de São Paulo.


Wassef já representou o presidente da República, é próximo da família Bolsonaro e era visto com frequência no Palácio do Planalto, em Brasília.


"A lealdade e a competência do advogado Frederick Wassef são ímpares e insubstituíveis. Contudo, por decisão dele e contra a minha vontade, acreditando que está sendo usado para prejudicar a mim e ao presidente Bolsonaro, deixa a causa mesmo ciente de que nada fez de errado", escreveu Flávio Bolsonaro em sua conta no Twitter no domingo.


Durante o fim de semana , tanto Flávio, que nega irregularidades e afirma que é alvo de uma perseguição que visa atingir seu pai, quanto o próprio Bolsonaro postaram mensagens nas redes sociais afirmando que a verdade será estabelecida.


No Rio, Flávio Bolsonaro é investigado, além do inquérito sobre suspeita de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Estado, também na Justiça Eleitoral por suspeitas de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, que envolvem a declaração de bens de do senador nas eleições de 2014, 2016 e 2018.


A assessoria do senador não confirmou quem vai representá-lo nos processos.


Reuters

Receba nossas atualizações

  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2019 Aconteceu PB — Todos os direitos reservados