• Áliston Meneses

Estado libera R$ 5 milhões para municípios aplicarem no enfrentamento ao coronavírus

A Comissão Intergestores Bipartite – CIB/PB e o Conselho Estadual de Assistência Social – CEAS/PB, regulamentou a Lei do Sistema Único de Assistência Social – SUAS municipal onde um montante R$ 5 milhões será partilhado para os 223 municípios em partes iguais, em uma única parcela, no valor de R$ 22.421,52.


A reunião aconteceu remotamente no dia 03 de abril, mas a resolução foi publicada na edição desta terça-feira (07), no Diário Oficial do Estado.


A resolução dispões sobre os critérios para a transferência regular e automática de recursos do Fundo Estadual de Assistência Social – FEAS, para os Fundos Municipais de Assistência Social – FMAS visando o cofinanciamento do bloco da Proteção Social Básica, em caráter emergencial, antecipado em virtude das medidas tomadas pelo Governo do Estado da Paraíba para enfrentamento da pandemia do coronavírus (COVID-19).


Clique aqui para ler na íntegra a partir da página 02


A Comissão Intergestores Bipartite – CIB/PB e o Conselho Estadual de Assistência Social – CEAS/PB, resolvem:


Art.1º. Deliberar e pactuar os critérios de elegibilidade de recursos do Cofinanciamento Estadual no âmbito da Proteção Social Básica, para os municípios que atendam aos pré-requisitos abaixo descritos:


I – assinatura posterior do Termo de Aceite ao cofinanciamento estadual; II – instituição e funcionamento do Conselho de Assistência Social Municipal; III – existência do Plano Municipal de Assistência Social vigente, conforme previsto no inciso III, do art. 30 da Lei 8.742, de 7 de dezembro de 1993 (LOAS); IV – funcionamento do FMAS como unidade orçamentária com alocação de recursos próprios, destinados ao cofinanciamento das ações; V – criação da Lei do Sistema Único de Assistência Social – SUAS municipal; Parágrafo Primeiro – O montante dos R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais) será partilhado para os 223 municípios em partes iguais, em uma única parcela, no valor de R$ 22.421,52 (vinte e dois mil, quatrocentos e vinte um reais e cinquenta e dois centavos).


Parágrafo Segundo – As transferências deverão ocorrer para as contas da Proteção Social Básica, abertas de forma específica e para esse fim.


Parágrafo Terceiro – Os recursos de que trata o caput serão transferidos na modalidade fundo a fundo diretamente do Fundo Estadual de Assistência Social – FEAS aos Fundos Municipais de Assistência Social – FMAS.


Art. 2º. Os recursos de que trata o caput do Art. 1º integrarão o Bloco da Proteção Social Básica conforme disposto no Art. 63 da NOBSUAS/2012.


Art. 3º. Os recursos de que trata o Art. 1º poderão ser aplicados:

I – No âmbito da Proteção Social Básica:

a) nas ações de custeio, com percentual de 100% da execução visando à oferta dos serviços; b) na aquisição de material de consumo e de outros insumos necessários ao desenvolvimento dos serviços, exceto combustível, despesas com transporte e locomoção, diária, contratação de serviços de terceiro Pessoa Física, taxas, impostos e tarifas bancárias, despesas administrativas (água, luz, aluguel e telefone); c) no desenvolvimento de programas de capacitação e aperfeiçoamento de recursos humanos na área de assistência social;

Parágrafo único – Todas as despesas relativas aos recursos de que trata o caput do Art. 1º obrigatoriamente deverão ser feitas através da natureza de Pessoa Jurídica.


Art. 4º. O valor anual de referência para cofinanciamento estadual dos blocos da Proteção Social Básica, Proteção Social Especial de Média e Alta Complexidade e Benefícios Eventuais, dependerá da disponibilidade orçamentária e financeira do FEAS.




Redação

Receba nossas atualizações

  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2019 Aconteceu PB — Todos os direitos reservados