• Áliston Meneses

CPI da Covid ouve Ernesto Araújo sobre China e compra de vacinas



No que promete ser uma semana tensa para o governo Jair Bolsonaro na CPI da Covid, os senadores ouvem, nesta terça-feira (18/5), o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo. Os integrantes da comissão querem explicações sobre a condução da diplomacia brasileira durante a pandemia da Covid-19, com atenção especial às relações com a China e às negociações para compra de vacinas e chegada de insumos para produção dos imunizantes.


Araújo deixou o Itamaraty no fim de março deste ano, sob forte críticas de empresários e parlamentares devido ao alto teor ideológico da sua gestão, com subserviência ao ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump e críticas reiteradas à China, maior parceiro comercial brasileiro.


O país asiático é também o maior fornecedor de insumos para a produção no Brasil de imunizantes, por meio da parceria do laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantan, para a Coronavac. A chegada de insumos para que mais vacinas sejam feitas tem sofrido atrasos, e muitos atribuem essa dificuldade à relação estremecida do Brasil com o país asiático.


Outra crítica comum à gestão do ex-chanceler é a suposta falta de interesse na aquisição de imunizantes para o país, privilegiando a busca por cloroquina e outros medicamentos, sem eficácia comprovada para a Covid-19.



Metrópoles


Veja mais notícias no Aconteceu PB.