• Áliston Meneses

Covid-19: Queda de cabelo pós-infecção afeta 25% dos pacientes

A doença pode gerar alteração na estrutura capilar


A queda excessiva de cabelo vem sendo uma das principais queixas de pessoas que já contraíram covid-19. De acordo com pesquisadores dos Estados Unidos, México e Suécia, um estudo recente revelou que a perda dos fios faz parte de um dos cinco sintomas prolongados da covid, atingindo cerca de 25% dos pacientes.


A infecção por conta do vírus pode gerar alteração na estrutura capilar e, segundo estudos, o corpo passa por uma inflamação que contribui para a queda. O dermatologista Breno Marques explica que a covid-19 pode agravar quadros de alopecia androgenética de base, conhecida popularmente como calvície.

“A calvície é o afinamento do cabelo que acontece no fio que não, necessariamente, cai. Eles vão afinando. A covid altera o ciclo e os fios que estavam em fase de crescimento, caem,” explica o especialista.


Para a queda de cabelo em decorrência da infecção por coronavírus, ainda não existe tratamento especifico. O dermatologista destaca que as medidas necessárias vão de acordo com cada caso, porém, boa alimentação, atividades físicas, controle de estresse e boas noites de sono, podem auxiliar no tratamento.

Marques ainda enfatiza que, “dietas de emagrecimentos rápidas, cirurgias prolongadas, com mais de 4 horas de anestesia geral, podem contribuir para a queda de cabelo pós covid.”


A doença também pode gerar problemas na pele como manchas vermelhas, urticárias e até mesmo lesões necróticas, além de afetar no crescimento das unhas.


O especialista, por sua vez, alerta para algumas situações que podem agravar as quedas, principalmente durante o inverno. Usar água quente para lavar os cabelos, além de evitar a lavagem do couro cabeludo quando o cabelo está caindo. “Algumas pessoas tem medo de lavar, e isso deixa o ambiente com oleosidade aumentada, que pode provocar a ocorrência de fungo. O ideal é procurar atendimento médico para verificar as principais causas da queda, para receber a prescrição do melhor tratamento de acordo com cada caso.”




Redação com RedeTV


Veja mais notícias no Aconteceu PB.