• Áliston Meneses

Consórcio Nordeste anuncia suspensão de contrato para compra da Sputnik



O Consórcio Nordeste -- que reúne governadores de estados da região -- anunciou nesta quinta-feira (05) a suspensão do contrato de compra de doses da vacina russa Sputnik V. A decisão foi tomada em razão de um impasse entre o grupo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde.


A Anvisa só havia liberado o uso emergencial do imunizante para estados que aceitassem cumprir determinadas regras para a aplicação. Porém, segundo o Consórcio, a agência instituiu novas limitações. Além disso, o Ministério da Saúde, que havia sinalizado com a inclusão da Sputnik no Plano Nacional de Imunização (PNI), recuou e optou por rescindir o contrato de compra da pasta.


O contrato firmado com o Fundo Soberano Russo previa a entrega de 37 milhões de doses da Sputnik -- desenvolvida pelo Instituto Gamaleya --, sendo 2 milhões ainda em abril. Por conta dos entraves, contudo, nenhuma dose chegou a ser entregue.


O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que preside o Consórcio Nordeste, lamentou os problemas que levaram à suspensão do contrato: "Os estados, os governadores, todos nos empenhamos para trazer mais vacinas e, infelizmente, aqui há um impedimento onde a burocracia é usada para impedir a entrada da vacina".


Segundo o Consórcio Nordeste, o Fundo Soberano Russo informou que as vacinas que estavam reservadas serão enviadas a México, Argentina e Bolívia. Assim que a situação for resolvida no Brasil, há a garantia de envio imediato de novas doses.



Redação com Sbt News


Veja mais notícias noAconteceu PB.

cartão logo.jpg
giphy.gif