• Áliston Meneses

Comer pipoca de micro-ondas em excesso pode causar Alzheimer, aponta estudo da USP



Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP apontou que o consumo excessivo de pipoca de micro-ondas pode causar danos cerebrais, incluindo o Mal de Alzheimer, além de câncer e outros tipos de demência. O “culpado” pelos problemas de saúde seria o diacetil, composto que dá o sabor e o cheiro amanteigados para o produto. No estudo, os pesquisadores encontraram moléculas ligadas ao Alzheimer no cérebro de ratos, após alimentá-los com diacetil por 90 dias, em quantidades próximas ao que seria um consumo diário normal da substância. Foram usados doze animais – seis receberam o composto e seis um placebo, como grupo de controle. O diacetil é usado em vários setores da indústria, mas ganhou destaque no alimentício, e é aprovado por agências regulatórias. Ele pode ser encontrado de forma natural em alguns alimentos como café e cerveja, mas a concentração é bem maior nos produtos industrializados. “Nós observamos que realmente existe essa tendência do diacetil causar danos ao cérebro. De 48 proteínas cerebrais que avaliamos após a exposição dos animais ao produto, 46 sofreram algum tipo de desregulação ou modificação em sua estrutura por conta do consumo prolongado do composto. Durante as análises, nós identificamos o aumento da concentração de proteínas beta-amiloides, que normalmente são encontradas em pacientes com Alzheimer. Além disso, outras alterações proteicas verificadas no cérebro dos ratos também podem estar relacionadas ao surgimento de demência e câncer”, explica Lucas Ximenes, doutorando do IQSC e autor da pesquisa. Segundo o cientista, o diacetil afetou tanto os cérebros de ratos machos como os de fêmeas, e que algumas regiões do órgão foram mais comprometidas, como o hipotálamo. Os pesquisadores planejam uma nova fase do estudo, com mais animais, para ampliar o entendimento.




Jovem Pan


Veja mais notícias no Aconteceu PB.