• Áliston Meneses

Combate a crimes ambientais na Amazônia vai até abril, diz Mourão



A Operação Verde-Brasil 2, que combate crimes ambientais na região amazônica, será prorrogada até abril de 2021, afirmou nessa segunda-feira (26.out) o vice-presidente Hamilton Mourão. De acordo com Mourão, que preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal, a decisão de prorrogar a operação já foi tomada, e o decreto que estende a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) deve ser assinado até semana que vem. 


"Estamos com recurso, e o recurso é suficiente para chegar até abril. Tinham sido alocados R$ 400 milhões, acho que ainda tem R$ 180 milhões, se não me engano. Terminaria em novembro, e vai prorrogar até abril porque nós temos recursos. Agora vamos lembrar que a gente tem que empenhar tudo esse ano porque é recurso desse ano", afirmou nesta manhã, acrescentando que o governo quer entrar num ciclo virtuoso de queda do desmatamento. "É nosso compromisso, a gente tem que derrubar isso aí, e pra derrubar nós temos que ter gente em campo, fiscalizando."


O vice-presidente Mourão também sinalizou que a crise entre o ministro Luiz Eduardo Ramos, da secretaria de Governo da Presidência, e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está superada, depois de um almoço entre os dois ministros, promovido pelo presidente Bolsonaro. Na semana passada, Salles chamou Ramos de "Maria Fofoca", sugerindo que o ministro palaciano estaria repassando informações para a imprensa.  


"Na sexta, o presidente chamou os dois pra almoçarem juntos. Os ministros são o Estado Maior do presidente. Se está havendo alguma rusga entre membros do Estado Maior, o comandante tem que intervir e dizer 'minha gente, vamos baixar a bolinha, vamos se acalmar, vamos se respeitar'", disse Mourão, acrescentando que "determinados assuntos tem que ser discutidos intra-muros, não por fora".  


Neste domingo, o ministro Ricardo Salles pediu desculpa "pelo excesso" ao ministro Luiz Eduardo Ramos, em uma publicação nas redes sociais, e diz que os dois colocaram um "ponto final" na questão.


O vice-presidente destacou que deve apresentar, na próxima semana, quando será realizada reunião do Conselho da Amazônia, o planejamento estratégico do colegiado, que já está pronto. E outros ministros farão atualizações das ações. "A ministra Tereza Cristina (Agricultura) vai falar como está avançando a questão da regularização fundiária, o ministro Salles (Meio Ambiente) vai falar da situação do Ibama e ICMBio", pontuou. 


Mourão também confirmou que, na próxima semana, o governo vai levar embaixadores de países europeus e latino-americanos à Amazônia, em uma viagem para mostrar in loco aos representantes estrangeiros a situação na região. De acordo com o vice-presidente, a viagem está confirmada para a próxima quarta-feira, dia 4 de novembro. sNa semana passada, o presidente Jair Bolsonaro já havia falado sobre a organização da viagem, e disse que a ideia era mostrar, num voo entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR), que não tem "nada queimando ou sequer um hectare de selva devastada" na floresta amazônica. 






SBT News