• Áliston Meneses

Bolsonaro volta a defender "kit covid" e ataca CPI: "Três patetas"



O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender o uso de remédios sem eficácia contra a covid-19 -- no que ele chama de "tratamento precoce" -- e atacou integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, a quem chamou de "três patetas". A fala foi durante participação no Simpósio da Cidadania Cristã, evento com presença de diversos pastores evangélicos, nesta terça-feira (5.out).

Bolsonaro repetiu diversas declarações que costuma dar sobre medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina. Entre elas, a orientação do início da pandemia de seu então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de que a população só deveria procurar hospitais em caso de falta de ar -- em uma tentativa de evitar a superlotação.


A declaração sobre a CPI da Covid foi dada quando Bolsonaro falava sobre seu discurso na ONU. O presidente afirmou que "não se furtou de falar sobre tratamento precoce" e defendeu "a autonomia dos médicos" para prescreverem os medicamentos ineficazes. "Ou devemos confiar nos três patetas da CPI", disse, em referência ao presidente, ao vice e ao relator do colegiado, respectivamente, os senadores Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Renan Calheiros (MDB-AL).


Mais cedo, antes da sessão da CPI da Pandemia, Calheiros afirmou que, "com certeza", o parecer final pedirá o indiciamento de Bolsonaro. Entre os possíveis crimes, está o de charlatanismo, pela indicação de remédios ineficazes.

Mendonça Ainda no evento, Bolsonaro reiterou a indicação do pastor André Mendonça, ex-advogado-geral da União, para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Indicado em julho, Mendonça ainda aguarda sua sabatina ser agendada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para poder assumir a cadeira.





Redação com Sbt News


Veja mais notícias no Aconteceu PB.