• Áliston Meneses

Bolsonaro se encontrará com Trump neste sábado (7), na Flórida

Presidente de Brasil e EUA devem ter breve encontro. Expectativa é de que haja assinatura de acordos entre os dois países na área militar

O presidente Jair Bolsonaro se reunirá com Donald Trump amanhã, durante sua viagem de quatro dias à Miami, nos Estados Unidos. O encontro deve acontecer ainda no sábado, na residência do chefe de estado norte-americano em Mar-a-Lago, na Flórida. A Casa Branca deve anunciar oficialmente o encontro nesta sexta-feira (6).


O jantar - o primeiro com os dois presidentes - acontecerá em Mar-a-Lago, um resort pertencente a Trump em Palm Beach. O local é conhecido como a "Casa Branca de Inverno" do presidente dos EUA. Ambos já se encontraram em março no ano passado, em Washington, e depois em junho, no Japão, no encontro do G-20, mas não jantaram juntos. Houve também um breve encontro entre os dois durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova York, em setembro.


A agenda de Bolsonaro, durante a viagem inclui encontros com políticos e empresários norte-americanos, assinatura de acordos e visita às instalações militares do Comando Sul, que é a unidade das Forças Armadas do país responsável pela cooperação de segurança e operações militares nos países da América Central e do Sul.


Agenda presidencial


De acordo com o Palácio do Planalto, Bolsonaro e ao menos seis ministros viajam na manhã de sábado (7). Está prevista uma escala técnica em Boa Vista, para abastecimento. Na ocasião, o presidente deve se reunir com autoridades do estado. A chegada a Miami está prevista para às 15h30 do mesmo dia, horário local. Na primeira noite em solo norte-americano, o presidente brasileiro participará de eventos privados.


Na manhã de domingo (8), Bolsonaro e ministros visitarão o Comando Militar do Sul, que fica nos arredores de Miami. Eles serão recebidos pelo general que administra a unidade militar e, além de conhecer as instalações, devem assistir a uma apresentação. Uma mesa-redonda entre autoridades militares dos dois países também está prevista.


No dia seguinte, segunda-feira (9), o presidente se encontra com os senadores Marco Rubio e Rick Scott, ambos integrantes do Partido Republicano, o mesmo do presidente Donald Trump, e com o prefeito de Miami, Francis Suarez. Na sequência, a comitiva brasileira participará da sessão de abertura de seminário empresarial Brasil-EUA. O secretário especial da Pesca, Jorge Seif, e o presidente da Embratur, Gilson Machado, devem fazer uma apresentação sobre oportunidades de investimento em aquicultura e turismo, respectivamente, aos empresários norte-americanos.


Além deles, fazem parte da comitiva os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Fernando Azevedo (Defesa),  Bento Albuquerque (Minas e Energia), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).


No mesmo dia, Bolsonaro ainda se encontra com representantes da comunidade brasileira na Flórida e com pastores locais. Na terça-feira (10), Bolsonaro participa da abertura de outra conferência empresarial entre investidores dos dois países e, em seguida, viaja para Jacksonville, também na Flórida, para visitar as instalações de uma fábrica da Embraer. Em seguida, a comitiva brasileira embarca de volta ao país, novamente com escala técnica em Boa Vista. A chegada do presidente a Brasília na madrugada de quarta-feira (11).


Segundo o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, a visita de Bolsonaro aos EUA vai reforçar as relações diplomáticas entre os dois países. Ele também destacou a forte relação comercial e cultural entre o Brasil e o estado norte-americano da Flórida. "Essa visita do presidente Bolsonaro à Flórida servirá para reforçar os vínculos com um dos principais estados americanos, que abriga uma comunidade de cerca de 400 mil brasileiros, e mantém comércio de mais de US$ 20 bilhões com o país. O Brasil, por sua vez, é o maior importador de produtos da Flórida e o terceiro maior exportador, destacando, ainda, a importância daquele estado como destino turístico para brasileiros, sendo atualmente o terceiro país que mais envia viajantes àquele estado americano", afirmou.


O governo não adiantou os possíveis acordos que deverão ser assinados durante a visita. A expectativa é que um acordo relacionado a compras de aeronaves da Embraer possa ser formalizado.


Agência Brasil

0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2019 Aconteceu PB — Todos os direitos reservados