• Áliston Meneses

Barroso sobre passaporte da vacina: "Impedir que as pessoas morram"



O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta segunda-feira (13.dez) que a sua decisão de determinar o comprovante de vacina obrigatório para viajantes no Brasil segue uma tradição da Corte de medidas mais conservadoras possíveis para "impedir que as pessoas morram".


A liminar do ministro foi proferida no sábado (11.dez.2021) e ainda será discutida pelo Plenário do Supremo.


"O STF tem a tradição de aplicar o que se chama de principio da precaução em matéria de vida e saúde. Adotamos a medida mais conservadora possível para impedir que as pessoas morram", afirmou o ministro em evento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Manaus (AM).


Segundo Barroso, o Brasil conseguiu avançar a vacinação na população e diminuir o número de mortes pela covid-19. Com isso, segundo o ministro, não há espaço para brechas.


"A decisão minimizou a alternativa entre o comprovante de vacinação e a quarentena pela constatação, que me parece evidente, de que se milhares de pessoas optassem pela quarentena no lugar da vacina, simplesmente não haveria condições de se monitorar e o risco seria grande", concluiu o ministro.




Redação com Sbt News


Veja mais notícias no Aconteceu PB.

cartão logo.jpg
giphy.gif