• Áliston Meneses

Assembleia Legislativa da Paraíba aprova projeto que reduz tempo para promoção de militares



A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou a redução de tempo para a promoção de Praças da Polícia Militar. De acordo com o Projeto de Lei 3556/2022, enviado ao Legislativo pelo Governo do Estado, o tempo necessário para a graduação dos Praças passará a ser de apenas sete anos. Atualmente, o tempo aplicado para que a promoção seja realizada é de 10 anos. O Legislativo Paraibano também criará uma comissão para debater demandas da categoria.


Durante a sessão, o presidente da ALPB, Adriano Galdino, destacou todo o esforço do governo em dialogar com os policiais. “Essa é mais uma prova que o governador João Azevêdo, mesmo assumindo um custo alto para o Estado, conversou com todas as forças de segurança e resolveu um problema que passou por outras diversas gestões e nada tinha sido feito”, ressaltou.


O texto aprovado durante sessão ordinária realizada nesta quarta-feira (9) especifica que as graduações de soldado para cabo; de cabo para 3º sargento; de 3º sargento para 2º sargento; de 2º sargento para 1º, levarão acontecerão dentro do prazo de sete anos. “Este projeto é fruto do diálogo firmado entre o governo e as forças de segurança, estando alinhado com os interesses dos militares. Estabelece um novo regramento para as promoções das praças, estabelecendo um interstício menor, sete anos, ao contrário dos dez nos atuais, agilizando com isso o fluxo da carreira, permitindo que se avance de uma patente para outra com mais rapidez”, justificou o governador.


O deputado Ricardo Barbosa, presidente da Comissão de Constituição, Redação e Justiça (CCJ) da ALPB, ressaltou que o projeto aprovado é fruto de amplo dialogo com a corporação, além de representantes legais da categoria. Durante reunião da CCJ, o parlamentar avaliou a conquista como histórica para a Polícia Militar. “Trata-se de uma luta decenária à correção de injustiça, de equívocos e de erros na condição de política salarial de promoção dos policiais militares e bombeiros militares do nosso estado, corrigidas majoritariamente pelo consenso, pelo equilíbrio e pela coragem do governador João Azevêdo, com a participação efetiva das lutas das associações integrantes da Polícia Militar.

Hoje, certamente, é o um dia histórico para a Casa de Epitácio Pessoa, um dia que marcará também a história da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros”, comemorou Ricardo Barbosa.


O deputado Wilson Filho, relator do projeto, ressaltou que a elaboração da matéria é o resultado da união do Poder Executivo, Legislativo e associações, após amplo debate que possibilita a ascensão profissional dos militares. “Esse projeto foi feito a centenas de mãos, a partir da liderança do Governo João Azevedo, do secretário de Segurança, Jean Nunes, do secretário de Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca, do procurador-geral do Estado, Fábio Andrade, de todas as associações e todos os parlamentares e pessoas interessadas na solução desse imbróglio”, argumentou o deputado.


EMENDAS

Ao todo, nove Emendas foram apresentadas ao projeto e duas foram acatadas. As emendas tratam que o policial militar esteja apto a sua promoção quando classificado como comportamento ‘Bom’. No texto original, a promoção só aconteceria em casos nos quais a avaliação constasse como ‘Ótima’.



Redação


Veja mais notícias no Aconteceu PB.