• Áliston Meneses

Agentes socioeducativos concursados começam a trabalhar em unidades da Fundac


Concluídas as fases do concurso para agente socioeducativo da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac), os aprovados e convocados à posse começam a ingressar nas suas respectivas unidades socioeducativas. Nessa primeira chamada do concurso, foram convocados 200 aprovados; os demais seguirão o cronograma definido para uma segunda etapa.


Segundo Noaldo Meireles, presidente da Fundac, a instituição tem evoluído bastante e com resultados expressivos, consolidando um projeto político pedagógico para o sistema socioeducativo do Estado da Paraíba; e uma das coisas que contribuiu para isso foi o fim da terceirização e o processo seletivo dos agentes que estão saindo agora para entrada dos concursados.


“As pessoas que deixaram de ser agentes socioeducativos passaram a ser uma parte importante na proposta pedagógica do sistema socioeducativo da Paraíba. A Fundac deve a esses profissionais pelos resultados obtidos”, reconheceu Meireles.


Os agentes socioeducativos concursados estão ingressando em duas etapas, uma agora (200) e outra daqui há dois meses (200), para que a substituição aconteça de forma tranquila, segura e sem nenhuma intercorrência dentro das unidades socioeducativas. “Tudo pactuado junto ao Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho e Ministério Público de Contas da Paraíba, entre outros órgãos”, frisou Noaldo.


“O nosso grande desafio, com a entrada dos concursados é a manutenção dos resultados e a consolidação do trabalho que vem sendo feito pela Fundação para que nossa Instituição seja um modelo para o país. Um resultado construído internamente, com as relações de confiança e parceria estabelecidas com os órgãos do sistema de justiça, de garantia de direitos, conselhos e fiscalização, entre outros”, pontuou o presidente da Fundac.


Carlos Eduardo Cardeal Uchôa, coordenador de Segurança da Fundac, compartilhou a alegria de fazer parte desse marco histórico da socioeducação da Paraíba. “Sinto que este momento será determinante para evoluir ainda mais o que já tá bem demais. Nossa pretensão é de fazer da socioeducação um serviço de excelência, porque de referência já é, dentre os Estados do nosso país”, lembrou.


“Com a chegada dos novos agentes socioeducativos concursados, poderemos trabalhar a mentalidade destes, fazendo com que entendam que não nos cabe julgar, e sim tão somente garantir a integridade física, psíquica e moral, e ainda servir de referência positiva para os socioeducandos, onde muitos sequer tiveram referência familiar. Consciência de respeito e dignidade é o que buscamos nesta nossa missão para os socioeducandos, bem como que os agentes socioeducativos possam sentir orgulho da tão nobre missão de servir”, observou Carlos Uchôa.


O coordenador adjunto de Inteligência, coronel Roberto Daniel, também lembrou da dedicação dos agentes socioeducativos do processo seletivo simplificado que, por anos, junto aos demais servidores da Fundação, contribuíram para o avanço observado nas unidades da Fundac. “Hoje, cumprimos mais uma fase do planejamento para convocação e entrada em exercício dos agentes concursados. Neste primeiro momento foram convocados 200, os quais foram distribuídos nas unidades socioeducativas do Estado, respeitando suas opções por área. Parabenizo todos os concursados pela concretização dessa vitória, ao tempo em que desejo sucesso durante suas carreiras. A vitória de um é o sucesso de todos”, acrescentou.


Ele ainda agradeceu ao governador João Azevêdo pela demonstração de compromisso e zelo pela coisa pública e por, mesmo no período de pandemia da Covid-19, honrar seus compromissos. “Parabenizo ainda o presidente, Noaldo Meireles, pela abnegação e perseverança que vem demonstrando à frente da Fundac o que, com apoio do Governo do Estado, fez com que nos encontrássemos nessa fase extraordinária da socioeducação da Paraíba”, ressaltou.


Wendow Lacerda, diretor do Centro Educacional do Jovem, acredita que a Fundac deu mais uma impulsionada e oxigenada com novos agentes socioeducativos. “A Unidade CEJ vem em tempos de modernização quando da chegada dos agentes oriundos do processo seletivo que trouxeram consigo uma grande vontade de acertar em sua atividade que se demonstrou nesse período, pois conseguimos avanços significativos dignos de elogios”, lembrou o diretor.


“Agora em fevereiro de 2021 recebemos os novos agentes socioeducativos concursados, onde daí começa mais um ciclo de oxigenação no tocante ao trato, cuidado, disciplina e dignidade acima de tudo”, acrescentou Wendow, parabenizando, ainda, todos os envolvidos no certame.


Para Luiz Antônio da Silva Sousa, diretor do Lar do Garoto, no dia 01 de fevereiro de 2021, iniciou-se mais um capítulo da história da socioeducação paraibana. Na unidade administrada por ele, assumiram 50% dos aprovados. “A todos os novatos, desejamos uma grande jornada. Aos que não estarão mais conosco na luta, externo meus sinceros agradecimentos por toda dedicação e amor. Fica o registro de nossa eterna gratidão, pois a história foi iniciada por vocês”, disse Luiz.


No Centro de Atendimento Socioeducativo Rita Gadelha, assim como nas demais unidades socioeducativas do Estado, a transição transcorreu sem intercorrências. “As concursadas foram acolhidas pela direção, onde receberam as primeiras orientações de procedimentos operacionais e da própria rotina socioeducativa. Tenho certeza que esse momento será um processo de grande aprendizado. Nossa meta é manter a excelência do atendimento socioeducativo que já vinha sendo feito em todas as unidades”, relatou a diretora Érica Renata.


Redação


Leia outras notícias em AconteceuPB.com.br . Curta nossa página no Facebook.

Receba nossas atualizações

  • Facebook ícone social
  • Instagram

© 2019 Aconteceu PB — Todos os direitos reservados