• Áliston Meneses

Agência americana analisa reforço das vacinas Moderna e Johnson & Johnson



A Agência norte-americana Food and Drug Administration, a Anvisa dos Estados Unidos, inicia nesta quinta-feira (14.out) uma reunião pública de dois dias para analisar o reforço para as vacinas da Moderna e da Johnson & Johnson.


Os primeiros relatórios mostram que dados sobre a resposta imunológica e os efeitos colaterais indicam o o uso de um reforço em pessoas com 18 anos ou mais, seis meses ou mais após a imunização inicial, principalmente por causa da variante Delta.


A Moderna - que não é usada no Brasil - já fez inclusive pedido para o reforço e conseguiu em agosto autorização para uma terceira dose em pessoas com sistema imunológico comprometido.


A Johnson & Johnson, da vacina Janssen aplicada no Brasil, pretende fazer um estudo na cidade São Sebastião do Paraís, no sul de Minas Gerais, sobre aplicação de refoço do imunizante.


A pesquisa será realizada com público de 12 a 55 anos que ainda não tenha tomado nenhuma vacina contra a Covid-19.


Os participantes maiores de idade deverão atender a alguns critérios, como nunca ter se infectado com o coronavírus, não ter tomado outra vacina contra o coronavírus e estar com boa saúde.


Já para o público de 12 a 17 anos, também há a necessidade de os pais ou responsáveis concordarem com o estudo.




SBT News


Veja mais notícias no Aconteceu PB.